top of page

Agroecologia em Foco: Estudantes Revelam o Poder das Plantas no Combate a Pragas


No âmbito da disciplina de Agroecologia, os estudantes do curso de Liderança Comunitária se destacaram ao realizar uma exposição dedicada ao estudo de plantas com propriedades inseticidas destinadas ao cultivo orgânico e agroecológico. A atividade não apenas ofereceu insights sobre práticas alternativas para o manejo de pragas na agricultura sustentável, mas também enfatizou a utilização de recursos naturais disponíveis na região.


Ao longo das aulas, os participantes tiveram a oportunidade de aprofundar seus conhecimentos sobre as características de diversas plantas com propriedades inseticidas, além de aprender sobre suas aplicações para o combate de pragas específicas. Alternativas como o consorciamento de espécies companheiras e o uso de óleos essenciais também foram apresentadas como estratégias eficazes no controle de pragas nas plantações.


Como parte desse estudo, os estudantes do primeiro ano do curso prepararam caldas e extratos provenientes de uma ampla variedade de plantas, incluindo alho, arruda, cabaça, café, camomila, erva-de-são-marcos, cebola, chuchu, cravo-de-defunto, erva-de-São-João, gergelim, mandioca, nim, pimenta-do-reino, tabaco, taiuiá e urtiga. Além disso, o grupo discutiu o uso das caldas, os cuidados necessários, prazos de validade e as principais pragas que podem ser combatidas com esses recursos naturais.


Para demonstrar a eficácia dessas soluções, os estudantes aplicaram uma calda de tabaco em um canteiro de couve na horta da ADL, visando combater o pulgão, durante a atividade, que ocorreu ao longo dos meses de setembro e outubro, abrangendo um total de cinco aulas.


O estudante Daniel Stofel Salino, com a experiência, compartilhou: "Foi a primeira vez que ouvi falar da possibilidade de usar plantas e recursos naturais para o combate de pragas e doenças nas hortas. Essas aulas são interessantes, e aprendemos na prática."7


A conscientização sobre os perigos do uso indiscriminado de agrotóxicos, que poluem o ambiente e ameaçam a saúde humana, é um dos principais objetivos da abordagem agroecológica. Como destacou o autor Marangoni em 2012, aproximadamente 90% dos pesticidas químicos aplicados na agricultura são desperdiçados, não atingindo seu alvo e prejudicando o meio ambiente. Além disso, o uso constante desses produtos pode resultar em resistência por parte das pragas.


As aulas de agroecologia, coordenada pelo educador social Alex Reblim Braun, integra o currículo do curso de Liderança Comunitária, oferecem uma oportunidade valiosa de interagir diretamente com o meio ambiente e de refletir sobre a importância da produção agroecológica e do acesso a alimentos saudáveis e sustentáveis. É uma iniciativa que não apenas capacita os futuros líderes comunitários, mas também contribui para um futuro mais saudável e ecologicamente responsável.


48 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page